Início » Jornada Divina Feminina (Caminho Sagrado Feminino) – Programa de Saberes Ancestrais e Práticas Integrativas Femininas (Pessoal e Profissional – Formação Iniciática)

Jornada Divina Feminina (Caminho Sagrado Feminino) – Programa de Saberes Ancestrais e Práticas Integrativas Femininas (Pessoal e Profissional – Formação Iniciática)

 

>>>>>>>
ATENÇÃO:
NOVA EDIÇÃO – PROGRAMA DE ASSOCIAÇÃO E FORMATIVOS ONLINE 2021 –“Condução de Círculo de Mulheres e Terapia Integrativa Feminina JORNADA DIVINA FEMININA: Programa da Sabedoria Iniciática Feminina – Qoya Yachay: ENTRE NO SITE/LINK: https://sagradofeminino.qoya.shakti.org.br/
<<<<<<<<<
Caminho Sagrado Feminino – QOYA NAN / CY TAPE / SHAKTI YATRA 
é o Programa de Saberes Ancestrais e Práticas Integrativas Femininas

(Pessoal e Profissional- Formação):

O Caminho ou a Jornada de Qoya – Shakti – Cy: QOYA NAN   

O CAMINHO SAGRADO FEMININO ou Caminho do Divino Feminino é Processo de realização das práticas e os Programas da SABEDORIA SAGRADA FEMININA / Saberes Sagrados Femininos (SSF) (Shakti Vidya / QOYA Yachay / Cy Arandu ou Theasophia)  – Reintegrando a Feminilidade Divina. É também a Jornada da Sacerdotisa; a Jornada de iniciação nos antigos Círculos de Mistérios Femininos.

Reintegrando a mulher a sua Feminilidade Essencial!

ILLA WARMIN WILLKA NAN –

As Práticas do Caminho Sagrado Feminino compreendem métodos específicos (corporais, psíquicas e mentais, espirituais) para mulheres reconhecerem, verdadeiramente, sua essência feminina, sua sacralidade, sua feminilidade iluminada, acelerando o despertar pleno da consciência.

Assim, parte das metas, ou seja no nível pessoal ou corporal da mulher, é o  reequilibrio do ciclo hormonal-psíquico (de lunar à venusiano), purificando e reconectando a energia-poder-força ovariana e uterina (transformação da energia essencial em vital e poder mental e consciente), reintegra o poder do coração (da Alma) e do olho interno (chakra frontal e pituitária – A consciência.

Tais práticas devem realinhar, harmonizar, produzir rejuvenescimento, saúde corporal, sexual, emocional e mental, mas a prioridade é a reconexão com a Terra e com o Cósmos, com o nosso propósito superior tanto no nível pessoal como coletivo.

Com isso O CAMINHO SAGRADO FEMININO também tem como metas:

. Reconectar a mulher à Terra, as suas origens e aos planos sutis (outros planos dimensionais) para que ela possa voltar a ser ‘porta voz’ e ‘plasmadora’ dos propósitos superiores de renovação, redimensionamento da Terra e de todos os seus seres,

. Harmonizar e ativar a ‘vibração’ em determinados lugares e, ou por toda a terra (dependendo da orientação da prática) para ajudar a desbloquear a energia criativa, geradora, plasmadora, ancoradora destes lugares (e com as pessoas que ali se encontram). Isto significa também ‘abrir’ ou ‘reconectar’ (reativar) determinados ‘pontos’ da terra que proporcionam nossa relação direta com as Sabedorias e Poderes necessários a realização das missões / propósitos e obras para a formação deste novo ciclo de evolução.

. Integrar a ‘feminilidade sagrada’ (a Shakti em todas os seus aspectos – o poder superior) para se unir e impulsionar a ‘masculinidade sagrada’ (a vontade-propósito superior), ancorarando a nova Consciência (superior) deste novo ciclo evolucional: que une o princípio feminino ao princípio masculino em toda sua luz.

Anexo:

– O Círculo de Confraternidade Feminina compõe de Encontros Presenciais (em um ou mais lugares) ou a distância):

. Além dos encontros semanais ou mensais individuais, existem também os encontros presenciais do Círculo acontecem quando a Terra está em determinado alinhamento ou transito com outros astros que permitem uma dinamização e re-alinhamento e harmonização de determinadas vibrações.

O Programa presencial da Sabedoria Sagrada Feminina / Saberes Ancestrais Femininos, existe desde 2009, porem desde antes, desde 2003 realizamos workshops que trabalhavam esta temática do feminino, das mulheres, de forma mais simples, sendo desde 2005 suas pesquisas e experiências seguiram um caminho com mais complexidade dentro dos Saberes Ancestrais Femininos ou Saberes Sagrados e que se mantém muito guardados por grandes e sábias mestras até a atualidade. Tais Saberes foram fortes em regiões como Índia/Tibet (antes do Bon, Induísmo e do Budismo), Sibéria (na origem do Shamanismo Tradicional) no Egito (ainda praticado ocultamente no tempo de Nephetiti) e na região do Peru, Mexico e Brasil – região Amazonia e Região Oeste principalmente (também praticado secretamente como um tipo de xamanismo tradicional também na época de Mama Ocllo). Para o ciclo evolutivo atual, o expoente e a força/poder deste saber passa totalmente para o ocidente/sul. Assim a nova tônica desta Sabedoria Sagrada Feminina emerge a partir, principalmente, do Peru e Brasil (Amazonia e Oeste) numa integração entre os povos nativos tradicionais e as mulheres chamadas de ‘qoyacy’ (shaktis).

Atenção: O programa é desenvolvido em encontros vivênciais, workshops, oficinas e cursos semipresenciais (formação ou livre e também como ‘Mentoria’ individual  semipresencial)

O Caminho Sagrado Feminino: A prática da Sabedoria Sagrada Feminina – A Sabedoria Feminina Divina ReConsagração à Sacralidade Feminina – Consagração Qoya / Cy / Shakti Guia – Reconectando-se o Caminho Sagrado Feminino – A  Alquimia feminina Respiração Ovariana e Uterina para reintegração de Kundalini Shakti

Mentoria como Curso de Formação deste programa, clique aqui:

Caminho Sagrado Feminino – Programa de Saberes Ancestrais e Práticas Integrativas Femininas

VER TAMBEM: Saberes Ancestrais Sagrados com prática

A Feminilidade Essencial da mulher pode ser resgatada através de movimentos que originam da essência criativa, receptiva, acolhedora e integradora da mulher, de seu ventre, que emerge de seu corpo, nutre, transforma, curando, conscientizando, trazendo, do interior o propósito, o amor, a consciência. Também deixa vir à superfície de nosso ser tudo que foi de reprimido dessa poderosa força que ficou adormecida em nosso inconsciente.

O Programa Caminho Sagrado FemininoQOYA NAN é o programa prático da Sabedoria Ancestral Sagrada Feminina que compreendem métodos específicos (corporais, psíquicas e mentais, espirituais) para mulheres reconhecerem, verdadeiramente, sua essência feminina, sua sacralidade, sua feminilidade iluminada, acelerando o despertar pleno da consciência.

Programa Caminho Sagrado Feminino (ou Jornada do Sagrado/Divino Feminino) – QOYA NAN  / CY TAPE / SHAKTI YATRA (Jornada de Qoya / Cy  / Shakti – Jornada do Sagrado ou Divino Feminino) é constituído de Reflexões, Práticas Meditativas, Práticas de Integração com a Natureza e com nossa essência, a Dança Integrativa Feminina como Consciência e Expressividade Corpo-Psiquê Feminina  – Reconexão, Integração e Expressão Feminina. A Arte e, principalmente, a dança é uma principais formas de acessar, reconectar diretamente a essência feminina.

Com isso O CAMINHO SAGRADO FEMININO também tem como metas:

. Reconectar a mulher à Terra, as suas origens e aos planos sutis (outros planos dimensionais) para que ela possa voltar a ser ‘porta voz’ e ‘plasmadora’ dos propósitos superiores de renovação, redimensionamento da Terra e de todos os seus seres,

. Harmonizar e ativar a ‘vibração’ em determinados lugares e, ou por toda a terra (dependendo da orientação da prática) para ajudar a desbloquear a energia criativa, geradora, plasmadora, ancoradora destes lugares (e com as pessoas que ali se encontram). Isto significa também ‘abrir’ ou ‘reconectar’ (reativar) determinados ‘pontos’ da terra que proporcionam nossa relação direta com as Sabedorias e Poderes necessários a realização das missões / propósitos e obras para a formação deste novo ciclo de evolução.

. Integrar a ‘feminilidade sagrada’ (a Qoya / Cy / Shakti em todas os seus aspectos – o poder superior) para se unir e impulsionar a ‘masculinidade sagrada’ (a vontade-propósito superior), ancorarando a nova Consciência (superior) deste novo ciclo evolucional: que une o princípio feminino ao princípio masculino em toda sua luz.

. Reconhecendo a própria feminilidade, a conexão com a Terra, com a Natureza, com o próprio ventre

. Descondicionamento, libertando-se do convencionalismo

. Purificação e Consagração do Ventre (útero) (harmonização principalmente dos níveis físico, etérico, astral) – em conjunto com:

. Reintegração da potencia LUNAR / Ceres (Kamasqa – inici: Kurak Akulliq) (Guardiã)

. Reconexão com a Senhora Natureza

. Reconexão com nossa Alma (Iniciando a reconexão com Nossa Guia Interior – Qoya ou Shakti Guia ou Atma Shakti) e reconexão ventre – (harmonização principalmente dos níveis físico, etérico, astral, mental) – em conjunto com:

. Reconexão com a potência LUNAR-VESTA

. Empoderametno com nossa Alma  (harmonização principalmente dos níveis astral) – em conjunto com:

. Empoderamento com a potência  LUNAR –

> ReConsagração à Sacralidade Feminina – Consagração Shakti Guia – Reconectando-se o Caminho Sagrado Feminino – A  Alquimia feminina Respiração Ovariana e Uterina (respiração alkimica feminina – kundalini shakti yoga) para reintegração de Kundalini Shakti

– encontrando a própria guia, aprendizado, práticas, aprendendo sobre o caminho, se engajando no caminho, se fortalecendo

– Reconectando-se o Caminho Sagrado Feminino – A  Alquimia feminina Respiração Ovariana e Uterina (respiração alquimica feminina – kundalini shakti yoga) para reintegração de Kundalini Shakti

. Reintegração  coração – olho interno (pituitária). Reintegração completa com nosso Poder Interior (Integração completa com nossa Shakti Guia ou Atma Shakti):  Poder de integração ou  despertar da consciência   – em conjunto com:

. Reintegração com a potência TERRENA (Kamasqa (inici: Kurak Akulliq))

com a potência Estelar feminina: Algol (Sombra)

. Reconexão,  Realinhamento e Reativação do seu Lugar de Poder (Paqarina)

. Intercomunicação com a potência planetárias VENUSIANA (Chaska) (Nusta) e com a potência Estelar feminina PLEIADEANA (Qollqa)

Quinto nível: (N) Um nível de consciência caracterizado pela emergência de pessoas de capacidade de cura notável. Eles devem ser capazes de curar todas as pessoas de todos os problemas ou doença, com apenas um único toque. E eles devem ser capazes de fazê-lo o tempo todo. O aparecimento de tais curandeiros vai sinalizar a fase inicial do pacha taripay . brilha com a luz divina interior.

. Despertar olho interno (pituitária) etc.

.  Expansão interna com a potência Iluminada potências: Planetária – Haumea / Planeta X  e Estelares feminina Marianas (Três Marias de Orion) (Qollqa) (Qoya)

Libertacao

sexto nível: (N) pacha taripay .

. Despertar olho interno (pituitária) etc.

.  Identificação com a potência Iluminada potências: Planetária – Estelares feminina Marianas (Sirius) – (Collari) (Sacerdotisa)

. Alinhamento e Ativação de determinados Lugares de Poder e Iniciações (Miskayani)

.  Multiplicando com a potência Iluminada potências: Estelares feminina Marianas (Cruzeiro do Sul) – (???) (Divina Iluminada)

Nesta fase refletiremos sobre nossos propósitos de vida e sobre o propósito coletivo das mulheres das linhagens anteriores para este ciclo

Todas as etapas estão constituídas das práticas abaixo, porém, cada uma das três etapas acima se vivencia estas práticas, porém com diferenças de acordo com o objetivo da etapa:

Saberes / Conhecimentos fundamentais e essenciais para a entender e realizar efetivamente as práticas e iniciar o processo de reconexão com a sacralidade feminina.

. Práticas Meditativas, Contemplativas e Respiratórias – Pranayamas, Visualizações diretivas e criativas e meditações específicas com práticas de purificação do ventre e reconexão (‘sukraojaspranagni shakti prajna siddhi’ – controle de energias sutis através de exercícios de respiração com visualização como ‘respiração ovariana/uterina’ ou ‘respiração alquimica feminina’) para reintegração à Kundalini Shakti  – para reintegrar Shakti, o poder essencial feminino; o despertar para a verdadeira vida e consciência. – reconexão com nossa ‘Shakti Guia’ (Atma Shakti), nosso feminino sagrado – reintegrando Shakti através da mente inferior e superior. Iniciando a Alquimia Feminina reintegrando Kundalini Shakti (Kundalini Shakti Prajna Siddhi).

– Práticas de Harmonização com a Natureza: praticas meditativas dinâmicas específicas, compostos fitoterápicos e Elixir Vibracional com plantas (ervas, especiarias, cereais etc – oleos e essencias vegetais, florais), pedras, cristais, metais, Código Forma (Yantra) simbolos e cores, de poder, com Totens animais de poder, circulo/mandala,

– Conhecimentos necessários para continuar a etapa mais avançada processo de integração a feminilidade sagrada

–  Dança Integrativa Feminina (incluindo as práticas meditativas, respiratórias e afins) –  Dança Integrativa Feminina: práticas do Treinamento Integrativo complementado pelas matrizes das danças femininas ancestrais, sagradas femininas como Danças ciganas turcas, russas, espanholas, danças árabes, indianas, etc. também Inclui:

Anexo: Sobre a Sabedoria Sagrada Feminina – Saberes Ancestrais Femininos:

(Sobre a Mentoria Profissional – de Formação: Formação em Saberes e Práticas do Sagrado Feminino: Facilitação e condução de Círculo de Mulheres e Terapia Integrativa Feminina  (online / ead por skype + material de pratica e estudo)

(Periodicamente acontecem oficinas em varias cidades, por favor, entre em contato para informações)

(Para grupos já formados que se interessem, realizamos Intensivões Vivenciais de Dança Integrativa Feminina)

Esta prática também integra o processo Educação Integrativa Feminina. (Educação aqui é o sentido original do termo vindo do grego ‘educere’, de trazer pra fora, tirar ou fazer emergir de dentro para fora, ou seja, o sentido da conscientização, de se conscientizar de algo que já é sabido em seu interior, apenas ‘esquecido’.)

> Mentoria Integrativa Profissional (de Formação); dentro das temáticas do programa de cursos, projetamos um plano de orientação e estudo é personalizado e diferenciado para cada aluna/mentoranda, de acordo com os interesses dela para trabalho e familiaridade com os conhecimentos, destinado principalmente a facilitadoras com pouca ou muita experiência.  Este plano de estudos é dividido em 8 níveis que podem ser realizados de forma muito livre em relação ao tempo da mentoranda. Esses 8 níveis, alguns deles tem mais de um ciclo, mas com tempos diferente para cada um (ciclo e níveis tem tempos diferentes). Esta mentoria é realizada de forma semipresencial ou somente a distancia, dependendo do plano de orientação/mentoria, sendo as aulas individuais ao vivo por skype acompanhadas de material disponibilizado em platafoma ead com senha.

Esta Mentoria Já é realiza há um bom tempo devido a procura de mulheres que já conduzem círculos (iniciantes ou veteranas) ou àquelas que percebem que necessitam de um programa de autodespertar em parceria com a formação, ou mesmo, aquelas que se interessam por conhecimentos e práticas específicas, pois nosso programa é bem profundo, iniciático e abrange um grande universo de saberes e práticas.

A mentoria é um trabalho personalizado, cada aluna faz o plano junto com a mentora (ver curriculum), de acordo com os assuntos que estão disponibilizado para o curso modular (ver assuntos abaixo), mas é só os assuntos, a estrutura é outra.

Esta Mentoria tem Certificação:

(o Certificado é enviado após entrega de trabalho de final de ciclo)

Assuntos a serem integrados no Programa de Formação personalizado:

Os Cursos podem ser realizados de forma independente (observando seus pré-requisitos) ou para o Programa Completo de Formação:

Programa completo de Cursos compreendem os seguintes Ramos de Conhecimento e Práticas – Caminho Sagrado Feminino. Estes Ramos foram formatados em módulos, tendo cada um níveis diferentes do programa:

. As 8 Divinas Fontes de Poder-Sabedoria da Jornada Sagrada Feminina – Qoya Amawta:

. Senhora dos Animais (Qoya Uywa – Shakti Pashu) – Utilizando o Poder dos Totens Animais – Animais de Poder –

Senhora do Templo Natural/Lugar Sagrado (Qoya Paqarina – Shakti Peethas)  – Lugares de poder # cura, proteção, realizações de cura, espirituais e propósitos superiores –

> A SENHORA DAS ESTRELAS (Qoya Chaska – Shakti Jyotsi) – Mapeamento biopsíquico e espiritual feminino   – identificação dos aspectos ou arquétipos das Shaktis – aspectos primordiais femininos   – no mapa natal e o melhor momento para amplificar os efeitos das práticas) para autoconhecimento, autodesenvolvimento e saúde e harmonização com os Astros (sintonizando com os transitos planetários e estelares),numerologia sagrada feminina e outros métodos de mapeamento –

> A SENHORA DA ARTE – Arte Integrativa Feminina – Dança-Teatro-Músical + Artes Visuais como “Arte-Terapia-feminina” (Qoya Kapchiy / Shakti Kala) – inclui Qoya Tusuy / Shakti Natya: Shakti Yoga Dance) – integrando o poder interior através da dança e movimento, inclui performances arte-terapeuticas – Dança Integrativa Feminina (com Cantos – Qoya Taki: Expressando), Dança-Teatro (com teatralidade: Vivenciando), (com as esculturas:  formando) –  posturas e movimentos bio-energéticos – matrizes de movimento de danças ancestrais femininas, Yoga Dance ou Shakti Dance, a verdadeira Yoga Dance Feminina – inclui cantos, músicas para uma dança poética, teatralidade para a vivência com os arquétipos e no avançado a experimentação da forma com os trabalhos com argila) –

> A SENHORA DA SINTONIA SAGRADA – Sintonizações Femininas (Teurgia Feminina – Magia Divina) (Qoya Willka – Shakti Gupta Vidya (ou Guhya) – Integração do poder ‘divino’ ou da consciência e conhecimentos mais avançados do Shakti Vidya –  Guya ou Gupta significa protegido, secreto etc – Teurgia é uma prática de magia cerimonial sagrada de sintonia com potências de Alta hierarquia, neste caso, as Shaktis / Qoya Iluminadas – Arquétipos Originais do Divino Feminino) – Teurgia Feminina: práticas contemplativas cerimoniais femininas coletivas para multiplicação/reativação de propósitos superiores e de Cura – Magia Superior / Divina inclui Reativação aos Locais de Poder para sustentação e fortalecimento da egregora do Divino Feminino profundo, criador, mantenedor e transformador, a força de Shakti /Qoya.

SÍNTESE:

O CÍRCULO SAGRADO FEMININO (Qoya Suntur Ayllu – Shakti Mandala) –  Círculo Shakti / Qoya Círculo feminino de autointegração, autorealização econfraternidade feminina) – Encontros de mulheres como um Círculo de estudos e práticas que incluem todos os conhecimentos ou ramos/ferramentas do Saberes Sagrado Feminino Shakti Vidya / Qoya Yachay – Saberes, Treinamentos e práticas, além de reflexões com todas as mulheres da ‘shakti sanga’ (a ‘fraternidade’ de mulheres praticantes). Há os círculo formado pelas multiplicadoras facilitadoras com supervisão  (as mulheres estudantes e praticantes do

Caminho Sagrado Feminino – QOYA NAN / CY TAPE / SHAKTI YATRA 
é o Programa de Saberes Ancestrais e Práticas Integrativas Femininas

(Pessoal e Profissional- Formação):

O Caminho ou a Jornada de Qoya – Shakti – Cy: QOYA NAN   

O CAMINHO SAGRADO FEMININO ou Caminho do Divino Feminino é Processo de realização das práticas e os Programas da SABEDORIA SAGRADA FEMININA / Saberes Sagrados Femininos (SSF) (Shakti Vidya / QOYA Yachay / Cy Arandu ou Theasophia)  – Reintegrando a Feminilidade Divina. É também a Jornada da Sacerdotisa; a Jornada de iniciação nos antigos Círculos de Mistérios Femininos.

Reintegrando a mulher a sua Feminilidade Essencial!

ILLA WARMIN WILLKA NAN –

As Práticas do Caminho Sagrado Feminino compreendem métodos específicos (corporais, psíquicas e mentais, espirituais) para mulheres reconhecerem, verdadeiramente, sua essência feminina, sua sacralidade, sua feminilidade iluminada, acelerando o despertar pleno da consciência.

Assim, parte das metas, ou seja no nível pessoal ou corporal da mulher, é o  reequilibrio do ciclo hormonal-psíquico (de lunar à venusiano), purificando e reconectando a energia-poder-força ovariana e uterina (transformação da energia essencial em vital e poder mental e consciente), reintegra o poder do coração (da Alma) e do olho interno (chakra frontal e pituitária – A consciência.

Tais práticas devem realinhar, harmonizar, produzir rejuvenescimento, saúde corporal, sexual, emocional e mental, mas a prioridade é a reconexão com a Terra e com o Cósmos, com o nosso propósito superior tanto no nível pessoal como coletivo.

Com isso O CAMINHO ou JORNADA SAGRADA FEMININO também tem como metas:

. Reconectar a mulher à Terra, as suas origens e aos planos sutis (outros planos dimensionais) para que ela possa voltar a ser ‘porta voz’ e ‘plasmadora’ dos propósitos superiores de renovação, redimensionamento da Terra e de todos os seus seres,

. Harmonizar e ativar a ‘vibração’ em determinados lugares e, ou por toda a terra (dependendo da orientação da prática) para ajudar a desbloquear a energia criativa, geradora, plasmadora, ancoradora destes lugares (e com as pessoas que ali se encontram). Isto significa também ‘abrir’ ou ‘reconectar’ (reativar) determinados ‘pontos’ da terra que proporcionam nossa relação direta com as Sabedorias e Poderes necessários a realização das missões / propósitos e obras para a formação deste novo ciclo de evolução.

. Integrar a ‘feminilidade sagrada’ (a Shakti em todas os seus aspectos – o poder superior) para se unir e impulsionar a ‘masculinidade sagrada’ (a vontade-propósito superior), ancorarando a nova Consciência (superior) deste novo ciclo evolucional: que une o princípio feminino ao princípio masculino em toda sua luz.

Anexo:

 

. Além dos encontros semanais ou mensais individuais, existem também os encontros presenciais do Círculo acontecem quando a Terra está em determinado alinhamento ou transito com outros astros que permitem uma dinamização e re-alinhamento e harmonização de determinadas vibrações.

O Programa presencial da Sabedoria Sagrada Feminina/ Saberes Ancestrais Femininos, existe desde 2009, porem desde antes, desde 2003 realizamos workshops que trabalhavam esta temática do feminino, das mulheres, de forma mais simples, sendo desde 2005 suas pesquisas e experiências seguiram um caminho com mais complexidade dentro dos Saberes Ancestrais Femininos ou Saberes Sagrados e que se mantém muito guardados por grandes e sábias mestras até a atualidade. Tais Saberes foram fortes em regiões como Índia/Tibet (antes do Bon, Induísmo e do Budismo), Sibéria (na origem do Shamanismo Tradicional) no Egito (ainda praticado ocultamente no tempo de Nephetiti) e na região do Peru, Mexico e Brasil – região Amazonia e Região Oeste principalmente (também praticado secretamente como um tipo de xamanismo tradicional também na época de Mama Ocllo). Para o ciclo evolutivo atual, o expoente e a força/poder deste saber passa totalmente para o ocidente/sul. Assim a nova tônica desta Sabedoria Sagrada Feminina emerge a partir, principalmente, do Peru e Brasil (Amazonia e Oeste) numa integração entre os povos nativos tradicionais e as mulheres chamadas de ‘qoyacy’ (shaktis).

Atenção: O programa é desenvolvido em encontros vivênciais, workshops, oficinas e cursos semipresenciais (formação ou livre e também como ‘Mentoria’ individual  semipresencial)

O Caminho Sagrado Feminino: A prática da Sabedoria Sagrada Feminina – A Sabedoria Feminina Divina ReConsagração à Sacralidade Feminina – Consagração Qoya / Cy / Shakti Guia – Reconectando-se o Caminho Sagrado Feminino – A  Alquimia feminina Respiração Ovariana e Uterina para reintegração de Kundalini Shakti

 

A Feminilidade Essencial da mulher pode ser resgatada através de movimentos que originam da essência criativa, receptiva, acolhedora e integradora da mulher, de seu ventre, que emerge de seu corpo, nutre, transforma, curando, conscientizando, trazendo, do interior o propósito, o amor, a consciência. Também deixa vir à superfície de nosso ser tudo que foi de reprimido dessa poderosa força que ficou adormecida em nosso inconsciente.

O Programa Caminho Sagrado FemininoQOYA NAN é o programa prático da Sabedoria Ancestral Sagrada Feminina que compreendem métodos específicos (corporais, psíquicas e mentais, espirituais) para mulheres reconhecerem, verdadeiramente, sua essência feminina, sua sacralidade, sua feminilidade iluminada, acelerando o despertar pleno da consciência.

Programa Caminho Sagrado Feminino (ou Jornada do Sagrado/Divino Feminino) – QOYA NAN  / CY TAPE / SHAKTI YATRA (Jornada de Qoya / Cy  / Shakti- Jornada do Sagrado ou Divino Feminino) é constituído de Reflexões, Práticas Meditativas, Práticas de Integração com a Natureza e com nossa essência, a Dança Integrativa Feminina como Consciência e Expressividade Corpo-Psiquê Feminina  – Reconexão, Integração e Expressão Feminina. A Arte e, principalmente, a dança é uma principais formas de acessar, reconectar diretamente a essência feminina.

Com isso O CAMINHO SAGRADO FEMININO também tem como metas:

. Reconectar a mulher à Terra, as suas origens e aos planos sutis (outros planos dimensionais) para que ela possa voltar a ser ‘porta voz’ e ‘plasmadora’ dos propósitos superiores de renovação, redimensionamento da Terra e de todos os seus seres,

. Harmonizar e ativar a ‘vibração’ em determinados lugares e, ou por toda a terra (dependendo da orientação da prática) para ajudar a desbloquear a energia criativa, geradora, plasmadora, ancoradora destes lugares (e com as pessoas que ali se encontram). Isto significa também ‘abrir’ ou ‘reconectar’ (reativar) determinados ‘pontos’ da terra que proporcionam nossa relação direta com as Sabedorias e Poderes necessários a realização das missões / propósitos e obras para a formação deste novo ciclo de evolução.

. Integrar a ‘feminilidade sagrada’ (a Qoya / Shakti em todas os seus aspectos – o poder superior) para se unir e impulsionar a ‘masculinidade sagrada’ (a vontade-propósito superior), ancorarando a nova Consciência (superior) deste novo ciclo evolucional: que une o princípio feminino ao princípio masculino em toda sua luz.

Todas as etapas estão constituídas das práticas abaixo, porém, cada uma das três etapas acima se vivencia estas práticas, porém com diferenças de acordo com o objetivo da etapa:

Saberes / Conhecimentos fundamentais e essenciais para a entender e realizar efetivamente as práticas e iniciar o processo de reconexão com a sacralidade feminina.

. Práticas Meditativas, Contemplativas e Respiratórias – Pranayamas, Visualizações diretivas e criativas e meditações específicas com práticas de purificação do ventre e reconexão (‘sukraojaspranagni shakti prajna siddhi’ – controle de energias sutis através de exercícios de respiração com visualização como ‘respiração ovariana/uterina’ ou ‘respiração alquimica feminina’) para reintegração à Kundalini Shakti  – para reintegrar Shakti, o poder essencial feminino; o despertar para a verdadeira vida e consciência. – reconexão com nossa ‘Shakti Guia’ (Atma Shakti), nosso feminino sagrado – reintegrando Shakti através da mente inferior e superior. Iniciando a Alquimia Feminina reintegrando Kundalini Shakti (Kundalini Shakti Prajna Siddhi).

– Práticas de Harmonização com a Natureza: praticas meditativas dinâmicas específicas, compostos fitoterápicos e Elixir Vibracional com plantas (ervas, especiarias, cereais etc – oleos e essencias vegetais, florais), pedras, cristais, metais, Código Forma (Yantra) simbolos e cores, de poder, com Totens animais de poder, circulo/mandala,

– Conhecimentos necessários para continuar a etapa mais avançada processo de integração a feminilidade sagrada

–  Dança Integrativa Feminina (incluindo as práticas meditativas, respiratórias e afins) –  Dança Integrativa Feminina: práticas do Treinamento Integrativo complementado pelas matrizes das danças femininas ancestrais, sagradas femininas como Danças ciganas turcas, russas, espanholas, danças árabes, indianas, etc. também Inclui:

(Para grupos já formados que se interessem, realizamos Intensivões Vivenciais de Dança Integrativa Feminina)

Esta prática também integra o processo Educação Integrativa Feminina. (Educação aqui é o sentido original do termo vindo do grego ‘educere’, de trazer pra fora, tirar ou fazer emergir de dentro para fora, ou seja, o sentido da conscientização, de se conscientizar de algo que já é sabido em seu interior, apenas ‘esquecido’.)

. As 8 Divinas Fontes de Poder-Sabedoria da Jornada Sagrada Feminina – Qoya Amawta:

. Senhora dos Animais (Qoya Uywa – Shakti Pashu) – Utilizando o Poder dos Totens Animais – Animais de Poder –

Senhora do Templo Natural/Lugar Sagrado (Qoya Paqarina – Shakti Peethas)  – Lugares de poder # cura, proteção, realizações de cura, espirituais e propósitos superiores –

> A SENHORA DAS ESTRELAS (Qoya Qoyllur – Shakti Jyotsi) – Mapeamento biopsíquico e espiritual feminino   – identificação dos aspectos ou arquétipos das Shaktis – aspectos primordiais femininos   – no mapa natal e o melhor momento para amplificar os efeitos das práticas) para autoconhecimento, autodesenvolvimento e saúde e harmonização com os Astros (sintonizando com os transitos planetários e estelares),numerologia sagrada feminina e outros métodos de mapeamento –

> A SENHORA DA ARTE – Arte Integrativa Feminina – Dança-Teatro-Músical + Artes Visuais como “Arte-Terapia-feminina” (Qoya Kapchiy / Shakti Kala) – inclui Qoya Tusuy / Shakti Natya: Shakti Yoga Dance) – integrando o poder interior através da dança e movimento, inclui performances arte-terapeuticas – Dança Integrativa Feminina (com Cantos – Qoya Taki: Expressando), Dança-Teatro (com teatralidade: Vivenciando), (com as esculturas:  formando) –  posturas e movimentos bio-energéticos – matrizes de movimento de danças ancestrais femininas, Yoga Dance ou Shakti Dance, a verdadeira Yoga Dance Feminina – inclui cantos, músicas para uma dança poética, teatralidade para a vivência com os arquétipos e no avançado a experimentação da forma com os trabalhos com argila) –

> A SENHORA DA SINTONIA SAGRADA – Sintonizações Femininas (Teurgia Feminina – Magia Divina) (Qoya Willka – Shakti Gupta Vidya (ou Guhya) – Integração do poder ‘divino’ ou da consciência e conhecimentos mais avançados do Shakti Vidya –  Guya ou Gupta significa protegido, secreto etc – Teurgia é uma prática de magia cerimonial sagrada de sintonia com potências de Alta hierarquia, neste caso, as Shaktis / Qoya Iluminadas – Arquétipos Originais do Divino Feminino) – Teurgia Feminina: práticas contemplativas cerimoniais femininas coletivas para multiplicação/reativação de propósitos superiores e de Cura – Magia Superior / Divina inclui Reativação aos Locais de Poder para sustentação e fortalecimento da egregora do Divino Feminino profundo, criador, mantenedor e transformador, a força de Shakti /Qoya.

SÍNTESE:

O CÍRCULO SAGRADO FEMININO (Qoya Ayllu – Shakti Mandala) –  Círculo Shakti / Qoya Círculo feminino de autointegração, autorealização econfraternidade feminina) – Encontros de mulheres como um Círculo de estudos e práticas que incluem todos os conhecimentos ou ramos/ferramentas do Saberes Sagrado Feminino Shakti Vidya / Qoya Yachay – Saberes, Treinamentos e práticas, além de reflexões com todas as mulheres da ‘shakti sanga’ (a ‘fraternidade’ de mulheres praticantes). Há os círculo formado pelas multiplicadoras facilitadoras com supervisão  (as mulheres estudantes e praticantes do Shakti Vidya / Qoya Yachay

>  A SACERDOTISA (Qoya Collari)- (Qoya Karpay / ShaktiAti – ShaktiDiksha (Dikshakti) Iniciação do feminino essencial – Iniciação espiritual através do poder ‘divino’ – iniciação feminina – Iniciação e Nomeação Qoya/Shakti – (o Círculo avançado refere-se as praticantes que já fizeram iniciação ShaktiAti / Shaktidiksha – Qoya Karpay) –

Atenção:

O Programa da Sabedoria Sagrada Feminina/ Saberes Ancestrais e Iniciaticos Femininos: CAMINHO SAGRADO ou DIVINO FEMININO – Jornada da Mulher Divina ou Sacerdotisa, existe desde 2009, porem desde antes, desde 2003 realizamos workshops que trabalhavam esta temática do feminino, das mulheres, de forma mais simples, sendo desde 2005 suas pesquisas e experiências seguiram um caminho com mais complexidade dentro dos Saberes Ancestrais Femininos ou Saberes Sagrados e que se mantém muito guardados por grandes e sábias mestras até a atualidade. Tais Saberes foram fortes em regiões como Índia/Tibet (antes do Bon, Induísmo e do Budismo), Sibéria (na origem do Shamanismo Tradicional) no Egito (ainda praticado ocultamente no tempo de Nephertiti) e na região do Peru, Mexico e Brasil – região Amazonia e Região Oeste principalmente (também praticado secretamente como um tipo de xamanismo tradicional também na época de Mama Ocllo). Para o ciclo evolutivo atual, o expoente e a força/poder deste saber passa totalmente para o ocidente/sul. Assim a nova tônica desta Sabedoria Sagrada Feminina emerge a partir, principalmente, do Peru e Brasil (Amazonia e Oeste) numa integração entre os povos nativos tradicionais e as mulheres chamadas de ‘qoyacy’ (ou shaktis).

É importante entender que nossa abordagem é da Sabedoria Iniciática Feminina e Psicologia Feminina Profunda,  o que diferencia em muito das linhas trabalhadas pela maioria dos cursos do ‘sagrado feminino’ (apesar de incluir muitos destes conhecimentos, para maior amplitude de percepção da aluna), pois foca  no conhecimento iniciático, que, grande parte dele, foi oculto por milhares de anos e também as práticas iniciáticas (práticas meditativas específicas, sintonizações etc), que exigem treino, estudo e envolvimento, principalmente com o processo interior. Por isso, este programa realiza as aulas online individuais e, sempre que necessário, o contato com a mentora/professora/terapeuta (que tem uma experiência específica de mais de 24 anos, tendo seus estudos e envolvimento com estas áreas desde tenra idade, pois teve também familiares muito comprometidos com estas sabedorias ancestrais…. Além disso, suas pesquisas e práticas tiveram foco neste trabalho mais específico com ‘divino feminino’, há mais de 15 anos, tendo nestes anos anteriores trabalho muito com mulheres). (Se possível, pode marcar uma entrevista breve para saber mais sobre o curso e este trabalho!)

Atenção: O programa é desenvolvido em encontros vivênciais, workshops, oficinas e cursos semipresenciais (formação ou livre e também como ‘Mentoria’ individual  semipresencial)

Para saber mais Detalhes das Práticas: Ver também Programa de Formação de Condutora de Círculo de Mulheres 

ANEXO: Para a parte semipresencial do programa:

A Dança, o movimento expressivo, criativo é o caminho para libertar a Alma e colocá-la na liderança! A Dança Integrativa Feminina é também Shakti Yoga ou Shakti Natya (da índia ancestral – ver os significados abaixo)  ou Qoya Tusuy (dos antecendentes Incas) e por isso constituí de práticas psico-físicas como movimentos expressivos, fluídicos e criativos femininos baseados nas matrizes das danças ancestrais femininas (Danças Árabes Femininas; a Dança Indiana; a Dança Flamenca, Danças Ciganas – de diversas etnias como espanhola, russa, turca, india, romena, árabe etc -, as Danças Brasileiras étnicas e afins) Estas danças têm suas origens em tempos remotos, quando não havia separação entre vida, arte e espiritualidade. Além desta base, também utiliza de práticas da dança étnica contemporânea feminina, as técnicas expressivas somáticas perenes e contemporâneas (como a dança-teatro oriental e ocidental) aliadas as práticas orientais integrativas perenes (yoga, Chi Kung, Kun Nye e afins) incluindo outras específicas para mulheres como as práticas meditativas femininas, que favorecem a autoconsciência (corporal, psíquica e mental), a identificação à essência e beleza interna e externa feminina e o contato com nosso ventre e seu poder criativo, receptivo, nutridor e transformador.

Trabalha-se a reconexão com a mãe terra e à polaridade feminina universal e cósmica (Shakti). Inclui técnicas meditativas de despertar e cura como a visualização diretiva, imaginação ativa, mantras e sons, visualizações de despertar e cura com o objetivo de reconectar e integrar a mulher ao corpo, psique e essência feminina – feminilidade essencial. Shakti Yoga (Dança Yoga Feminina) ou Dança Integrativa Feminina é parte do Caminho Sagrado Feminino, o Programa Prático dos Saberes Ancestrais do Sagrado Feminino. Assim, o curso também possui uma boa parte de todo um cabedal de conhecimentos existentes nos muito antigos círculos de mulheres em diversas partes do planeta, saberes estes que foram ocultados por milênios ou ainda reconfigurados modificando sua essência o que levou a mulher a desconhece-la e desempoderá-la. Este curso não só objetiva harmonia, saúde, autoconhecimento como iniciar e aperfeiçoar o processo de empoderamento feminino, porém focando a autorealização, trabalhando a mulher com base em seu interior, na sua reconexão e integração a sua essência feminina, a terra, ao cosmos, a todos os seres, para que aí sim ela possa ser representante ativa, criativa e efetiva em seus círculos femininos e outros, onde através desta transformação interna, possa realizar transformações no mundo.

O objetivo:
Reencontrar o espaço, o tempo e a experiência sagrada interna e externa da mulher. Os movimentos expressivos, as práticas de respiração, reflexão e meditativas permitem, através do físico, do sensível, do emocional e mental, um contato profundo consigo mesma. Como experiência ‘exterior’ tem-se a oportunidade de conectar com suas ‘comadres’, trocando idéias, experiências, sabedorias e a oportunidade de redespertar, de dentro pra fora, a essência sagrada, integrada feminina. Um corpo que se move libera a Alma e ascende!

Qoya Tusuy ou Shakti Yoga (também chamada de Shakti Yoga Dance, mas essencialmente Shakti Natya, em sanscrito – sendo Shakti, a Feminilidade essencial, cósmica, terrena, a essência feminina universal e Natya relacionando a Arte do Corpo como Dança-Teatro com musica, que inclui práticas e conceitos do yoga – e Yoga muito é mais que uma prática psico-física, é uma sabedoria, significa união, religação ao verdadeiro Eu)

Dança Integrativa Feminina ou Dança Integrativa Circular Feminina é também Shakti Natya (ou Shakti Yoga Dance), porém significando Shakti Mandala Natya. Sendo Shakti, uma palavra sanscrita que significa é o principio feminino individual ou pessoal, planetário, universal e cósmico. Yoga significa junção, união, integração e Natya arte e expressão corporal, cênica, teatro e, principalmente dança sagrada, Mandala significa circular, porém a dança feminina ancestral, por si só, era circular tridimensional, esférica. A mandala é o símbolo da integração, integração com o seu centro, ou centro origem de tudo, a totalidade, é o símbolo da harmonia, estética, sacralidade. Assim, está prática reconecta (resgata) a mulher a sua feminilidade, ao princípio ou essência de amor, união, receptividade, generosidade, alegria, beleza, harmonia, sabedoria, paz e plenitude.images (6)Entre os benefícios gerais ou efeitos está a flexibilidade física, mental e psíquica, alinhamento postural, consciência corporal e mental (semi-estática* e em movimento), fluidez, coordenação, fortalecimento, resistência, equilíbrio psico-físico, percepção sensorial, criatividade, expressividade, autoestima (autoaceitação), relaxamento pro-ativo, modelagem ou remodelagem ao corpo feminino, integração pessoal e social e muitos outros. As práticas integrativas femininas são base dos Saberes Sagrados e Ancestrais Femininos: Assim, parte das metas, ou seja no nível pessoal ou corporal da mulher, é o  reequilíbrio do ciclo hormonal-psíquico (de lunar à venusiano), purificando e reconectando a energia-poder-força ovariana e uterina (transformação da energia essencial em vital e poder mental e consciente), reintegra o poder do coração (da Alma) e do olho interno (chakra frontal e pituitária ) e A integração plena da consciência.Tais práticas devem realinhar, harmonizar, produzir rejuvenescimento, saúde corporal, sexual, emocional e mental, mas a prioridade é a reconexão com a Terra e com o Cósmos, com o nosso propósito superior tanto no nível pessoal como coletivo.

* O corpo está em movimento constante mesmo quando estamos parados, pois milhares de micromovimentos internos estão constantemente fluindo mesmo ao dormirmos, mesmo em coma. Assim a vida é movimento, movimento é vida e saber se movimentar é saber viver! Pela Sabedoria Oriental, O Princípio feminino cósmico é substância, é movimento, é a vida manifesta, é o corpo, é o movimento do corpo, o movimento de vida, é a dança, é a dança do cosmos, é a dança da vida!

O Caminho Sagrado Feminino é realizado individualmente e/ou em pequenos grupos (através do Circulo de Confraternidade Feminina e Encontros Presenciais e Retiros dos Programas de Práticas, de Cura e Capacitação) . Individualmente pode ser realizado na forma de Mentoria Integrativa – individual por skype mais material por plataforma ead. Os encontros do Círculos acontecem, principalmente, quando há determinados trânsitos especiais entre astros (trânsitos planetários e estelares – Shakti Jyotsi) e em relação a Terra que consistem em ‘momentos auspiciosos’ para práticas de reconexão, reintegração, realinhamento, purificação, ativação, ancoramento de determinadas forças e consciências, quando associados a práticas específicas. E os Encontros Presenciais dos Programas acontecem durante o ano (em finais de semana – ver em Encontros e Retiros).

É possível realizar as etapas avançada em 2 modalidades de práticas a serem escolhidas pela praticante:

. Modalidade Iniciação – São um conjunto de saberes e práticas e recomendações avançadas que necesssitam de supervisão e são realizadas individualmente (inicia-se individualmente) e possivelmente alguns encontros um grupo/círculo de mulheres (como as Sintonizações). Essa supervisão pode ser realizada de forma semi-presencial.

. Modalidade Integração e Formação – São um conjunto de práticas, recomendações e conhecimentos avançadas (incluindo das outras modalidades) para que a mulher possa realizar também encontros dos círculos de mulheres que estarão ligadas ao círculo central de Confraternidade Sagrada Feminina

(online / ead por skype + material de pratica e estudo)

Shakti Vidya /  (o Círculo avançado refere-se as praticantes que já fizeram iniciação ShaktiAti / Shaktidiksha – Qoya Karpay) –

>  A SACERDOTISA (Qoya Collari)- (Qoya Karpay /ShaktiAti – ShaktiDiksha (Dikshakti) Iniciação do feminino essencial – Iniciação espiritual através do poder ‘divino’ – iniciação feminina – Iniciação e Nomeação Qoya/Shakti –

Atenção:

O Programa da Sabedoria Sagrada Feminina/ Saberes Ancestrais e Iniciaticos Femininos: CAMINHO SAGRADO ou DIVINO FEMININO – Jornada da Mulher Divina ou Sacerdotisa, existe desde 2009, porem desde antes, desde 2003 realizamos workshops que trabalhavam esta temática do feminino, das mulheres, de forma mais simples, sendo desde 2005 suas pesquisas e experiências seguiram um caminho com mais complexidade dentro dos Saberes Ancestrais Femininos ou Saberes Sagrados e que se mantém muito guardados por grandes e sábias mestras até a atualidade. Tais Saberes foram fortes em regiões como Índia/Tibet (antes do Bon, Induísmo e do Budismo), Sibéria (na origem do Shamanismo Tradicional) no Egito (ainda praticado ocultamente no tempo de Nephertiti) e na região do Peru, Mexico e Brasil – região Amazonia e Região Oeste principalmente (também praticado secretamente como um tipo de xamanismo tradicional também na época de Mama Ocllo). Para o ciclo evolutivo atual, o expoente e a força/poder deste saber passa totalmente para o ocidente/sul. Assim a nova tônica desta Sabedoria Sagrada Feminina emerge a partir, principalmente, do Peru e Brasil (Amazonia e Oeste) numa integração entre os povos nativos tradicionais e as mulheres chamadas de ‘qoyacy’ (ou shaktis).

É importante entender que nossa abordagem é da Sabedoria Iniciática Feminina e Psicologia Feminina Profunda,  o que diferencia em muito das linhas trabalhadas pela maioria dos cursos do ‘sagrado feminino’ (apesar de incluir muitos destes conhecimentos, para maior amplitude de percepção da aluna), pois foca  no conhecimento iniciático, que, grande parte dele, foi oculto por milhares de anos e também as práticas iniciáticas (práticas meditativas específicas, sintonizações etc), que exigem treino, estudo e envolvimento, principalmente com o processo interior. Por isso, este programa realiza as aulas online individuais e, sempre que necessário, o contato com a mentora/professora/terapeuta (que tem uma experiência específica de mais de 24 anos, tendo seus estudos e envolvimento com estas áreas desde tenra idade, pois teve também familiares muito comprometidos com estas sabedorias ancestrais…. Além disso, suas pesquisas e práticas tiveram foco neste trabalho mais específico com ‘divino feminino’, há mais de 15 anos, tendo nestes anos anteriores trabalho muito com mulheres). (Se possível, pode marcar uma entrevista breve para saber mais sobre o curso e este trabalho!)

Atenção: O programa é desenvolvido em encontros vivênciais, workshops, oficinas e cursos semipresenciais (formação ou livre e também como ‘Mentoria’ individual  semipresencial)

Para saber mais Detalhes das Práticas: Ver também Programa de Formação de Círculo de Mulheres 

ANEXO: Para a parte semipresencial do programa:

A Dança, o movimento expressivo, criativo é o caminho para libertar a Alma e colocá-la na liderança! A Dança Integrativa Feminina é também Shakti Yoga ou Shakti Natya (da índia ancestral – ver os significados abaixo)  ou Qoya Tusuy (dos antecendentes Incas) e por isso constituí de práticas psico-físicas como movimentos expressivos, fluídicos e criativos femininos baseados nas matrizes das danças ancestrais femininas (Danças Árabes Femininas; a Dança Indiana; a Dança Flamenca, Danças Ciganas – de diversas etnias como espanhola, russa, turca, india, romena, árabe etc -, as Danças Brasileiras étnicas e afins) Estas danças têm suas origens em tempos remotos, quando não havia separação entre vida, arte e espiritualidade. Além desta base, também utiliza de práticas da dança étnica contemporânea feminina, as técnicas expressivas somáticas perenes e contemporâneas (como a dança-teatro oriental e ocidental) aliadas as práticas orientais integrativas perenes (yoga, Chi Kung, Kun Nye e afins) incluindo outras específicas para mulheres como as práticas meditativas femininas, que favorecem a autoconsciência (corporal, psíquica e mental), a identificação à essência e beleza interna e externa feminina e o contato com nosso ventre e seu poder criativo, receptivo, nutridor e transformador.

Trabalha-se a reconexão com a mãe terra e à polaridade feminina universal e cósmica (Shakti). Inclui técnicas meditativas de despertar e cura como a visualização diretiva, imaginação ativa, mantras e sons, visualizações de despertar e cura com o objetivo de reconectar e integrar a mulher ao corpo, psique e essência feminina – feminilidade essencial. Shakti Yoga (Dança Yoga Feminina) ou Dança Integrativa Feminina é parte do Caminho Sagrado Feminino, o Programa Prático dos Saberes Ancestrais do Sagrado Feminino. Assim, o curso também possui uma boa parte de todo um cabedal de conhecimentos existentes nos muito antigos círculos de mulheres em diversas partes do planeta, saberes estes que foram ocultados por milênios ou ainda reconfigurados modificando sua essência o que levou a mulher a desconhece-la e desempoderá-la. Este curso não só objetiva harmonia, saúde, autoconhecimento como iniciar e aperfeiçoar o processo de empoderamento feminino, porém focando a autorealização, trabalhando a mulher com base em seu interior, na sua reconexão e integração a sua essência feminina, a terra, ao cosmos, a todos os seres, para que aí sim ela possa ser representante ativa, criativa e efetiva em seus círculos femininos e outros, onde através desta transformação interna, possa realizar transformações no mundo.

O objetivo:
Reencontrar o espaço, o tempo e a experiência sagrada interna e externa da mulher. Os movimentos expressivos, as práticas de respiração, reflexão e meditativas permitem, através do físico, do sensível, do emocional e mental, um contato profundo consigo mesma. Como experiência ‘exterior’ tem-se a oportunidade de conectar com suas ‘comadres’, trocando idéias, experiências, sabedorias e a oportunidade de redespertar, de dentro pra fora, a essência sagrada, integrada feminina. Um corpo que se move libera a Alma e ascende!

Qoya Tusuy ou Shakti Yoga (também chamada de Shakti Yoga Dance, mas essencialmente Shakti Natya, em sanscrito – sendo Shakti, a Feminilidade essencial, cósmica, terrena, a essência feminina universal e Natya relacionando a Arte do Corpo como Dança-Teatro com musica, que inclui práticas e conceitos do yoga – e Yoga muito é mais que uma prática psico-física, é uma sabedoria, significa união, religação ao verdadeiro Eu)

Dança Integrativa Feminina ou Dança Integrativa Circular Feminina é também Shakti Natya (ou Shakti Yoga Dance), porém significando Shakti Mandala Natya. Sendo Shakti, uma palavra sanscrita que significa é o principio feminino individual ou pessoal, planetário, universal e cósmico. Yoga significa junção, união, integração e Natya arte e expressão corporal, cênica, teatro e, principalmente dança sagrada, Mandala significa circular, porém a dança feminina ancestral, por si só, era circular tridimensional, esférica. A mandala é o símbolo da integração, integração com o seu centro, ou centro origem de tudo, a totalidade, é o símbolo da harmonia, estética, sacralidade. Assim, está prática reconecta (resgata) a mulher a sua feminilidade, ao princípio ou essência de amor, união, receptividade, generosidade, alegria, beleza, harmonia, sabedoria, paz e plenitude.

Entre os benefícios gerais ou efeitos está a flexibilidade física, mental e psíquica, alinhamento postural, consciência corporal e mental (semi-estática* e em movimento), fluidez, coordenação, fortalecimento, resistência, equilíbrio psico-físico, percepção sensorial, criatividade, expressividade, autoestima (autoaceitação), relaxamento pro-ativo, modelagem ou remodelagem ao corpo feminino, integração pessoal e social e muitos outros. As práticas integrativas femininas são base dos Saberes Sagrados e Ancestrais Femininos: Assim, parte das metas, ou seja no nível pessoal ou corporal da mulher, é o  reequilíbrio do ciclo hormonal-psíquico (de lunar à venusiano), purificando e reconectando a energia-poder-força ovariana e uterina (transformação da energia essencial em vital e poder mental e consciente), reintegra o poder do coração (da Alma) e do olho interno (chakra frontal e pituitária ) e A integração plena da consciência.Tais práticas devem realinhar, harmonizar, produzir rejuvenescimento, saúde corporal, sexual, emocional e mental, mas a prioridade é a reconexão com a Terra e com o Cosmos, com o nosso propósito superior tanto no nível pessoal como coletivo.

* O corpo está em movimento constante mesmo quando estamos parados, pois milhares de micromovimentos internos estão constantemente fluindo mesmo ao dormirmos, mesmo em coma. Assim a vida é movimento, movimento é vida e saber se movimentar é saber viver! Pela Sabedoria Oriental, O Princípio feminino cósmico é substância, é movimento, é a vida manifesta, é o corpo, é o movimento do corpo, o movimento de vida, é a dança, é a dança do cosmos, é a dança da vida!

O Caminho Sagrado Feminino é realizado individualmente e/ou em pequenos grupos (através do Circulo de Confraternidade Feminina e Encontros Presenciais e Retiros dos Programas de Práticas, de Cura e Capacitação) . Individualmente pode ser realizado na forma de Mentoria Integrativa – individual por skype mais material por plataforma ead. Os encontros do Círculos acontecem, principalmente, quando há determinados trânsitos especiais entre astros (trânsitos planetários e estelares – Shakti Jyotsi) e em relação a Terra que consistem em ‘momentos auspiciosos’ para práticas de reconexão, reintegração, realinhamento, purificação, ativação, ancoramento de determinadas forças e consciências, quando associados a práticas específicas. E os Encontros Presenciais dos Programas acontecem durante o ano (em finais de semana – ver em Encontros e Retiros).

É possível realizar as etapas avançada em 2 modalidades de práticas a serem escolhidas pela praticante:

. Modalidade Treinamento– São um conjunto de saberes e práticas e recomendações avançadas que necesssitam de supervisão e são realizadas individualmente (inicia-se individualmente) e possivelmente alguns encontros um grupo/círculo de mulheres (como as Sintonizações). Essa supervisão pode ser realizada de forma semi-presencial.

. Modalidade Integração – Desenvolvendo – São um conjunto de práticas, recomendações e conhecimentos avançadas (incluindo das outras modalidades) para que a mulher possa realizar também encontros dos círculos de mulheres que estarão ligadas ao círculo central de Confraternidade Sagrada Feminina